22/01/2007

Chelsea: um erro de topo.

Muito se tem especulado sobre a presumível saída de José Mourinho no final da temporada do colosso inglês. Actualmente, o registo da equipa é de facto anormal: 1 vitória, 3 empates e 1 derrota nos últimos 5 encontros da Premiership.

Mais se afirma que existe algum desconforto entre Abramovich e o técnico português.

Pois eu sou apologista da sabedoria popular quando expressa o ditado: "cada macaco no seu galho".

Qualquer instituição que se preze, deve possuir nos seus quadros pessoas competentes para determinadas funções, daí se investigar curriculum, qualificações ou experiências anteriores na definição do perfil de trabalhador que se pretende para um projecto.

Parece-me, correndo o risco de ser faccioso, que o espaço de intervenção da equipa técnica portuguesa tem sido progressivamente violado por instâncias superiores do clube. A contratação Shevchenko, por exemplo, terá sido pedida por Mourinho e seus pares ou terá sido apenas mais um capricho milionário de Roman Abramovich?

Para além disso, as recentes notícias revelam que o russo comprará um defesa central - uma "posição-défice" evidente do plantel do Chelsea - se Mourinho der mais minutos ao avançado ucraniano. A ser verdade e tendo em conta a postura e as opções que o setubalense tem demonstrado ao longo da sua carreira como treinador, adivinha-se o final de uma parceria que poderia ter elevado muito mais o nível do futebol britânico e europeu.

É triste, mas condicionar desta forma um profissional que já venceu quase tudo o que há para vencer por onde passou é, no mínimo, anedótico.